Radiestesia/eletrostática

Foto editada

Un tema paranormal interesante, que tiene una sólida base científica e incluso se usa intensamente en la investigación, es el que implica la detección de agua, minerales y láminas de aceite a través de sensores capaces de percibir pequeños cambios en la gravedad local. La base científica es que los dispositivos sensibles pueden realmente hacer esta detección. Sin embargo, la investigación paranormal implica la posibilidad de que las personas puedan percibir estas variaciones y detectar depósitos utilizando péndulos, horquillas u otros recursos menos técnicos ... Una discusión sobre el uso de la tecnología en esta investigación es lo que haremos en esta sección.

Los péndulos se usan con mucha intensidad en muchos tipos de investigación para manifestaciones paranormales. Se cree que sus oscilaciones son extremadamente sensibles a cualquier fenómeno paranormal, experimentando cambios que pueden ser observados por un operador entrenado o muy atento.
Dicen que los más sensibles pueden detectar depósitos minerales, depósitos de agua subterráneos e incluso láminas de petróleo simplemente observando los cambios en estas oscilaciones, como se muestra en la Figura 1.

Figura 1 – Segundo se acredita a presença de água ou minérios causa pequenas vibrações na forquilha.

Existe uma fundamentação física que ajuda a explicar algumas das alterações do pêndulo nas proximidades de jazidas: a oscilação pode ser afetada pela pequena mudança da gravidade causada pela presença de um corpo de menor ou maior densidade que o solo de suas vizinhanças.
Um corpo de certa massa preso a uma mola pode ajudar a fazer essa detecção, resultando num instrumento denominado gravímetro, conforme mostra a figura 2.


Figura 2  - O Gravímetro - A posição do corpo preso à mola muda, conforme a gravidade do local se altera na presença de grandes massas de minérios ou água com maior ou menor densidade.

O levantamento gravimétrico de uma região é uma poderosa ferramenta para se descobrir jazidas. As pesquisas que envolvem essas mudanças são feitas com sensores gravimétricos acoplados a aeronaves, conforme mostra a figura 3.

 

Indo para a pesquisa paranormal, a utilização da chamada forquilha (rabdomante = varinha mágica) para se detectar água (ou ouro) se baseia no mesmo princípio.
Pequenas alterações de seu peso, provocada pela presença de um lençol de água podem ser detectadas por uma pessoa sensível, conforme mostra a figura 4.

 


Figura 4 - Gravura antiga mostrando o uso de uma “forquilha” (rabdomante) para descobrir minérios ou água.

As pequenas “oscilações” ou movimentos da varinha indicavam ao “operador” onde seria o melhor lugar para cavar um poço ou tentar descobrir minérios.
Na gravimetria, a eletrônica já é usada amplamente na detecção de depósitos minerais, mas na pesquisa de fenômenos paranormais poucos são os pesquisadores que fazem seu uso, se bem que as possibilidades são muito amplas.
Assim, tanto o pêndulo como a forquilha podem ser acoplados a sensíveis detectores eletrônicos que, muito melhor que os humanos, poderiam acusar mínimas alterações das amplitudes ou das orientações de suas vibrações.
Na figura 5 damos um interessante circuito que, acoplado a uma forquilha ou a um pêndulo permite a observação das oscilações num osciloscópio.

 


A bobina  captadora pode ser o enrolamento primário de um transformador comum de alimentação cujo núcleo tenha sido retirado.
O sistema mecânico deve ter um peso na sua ponta e um imã que vai gerar, por indução, as tensões de sinal ao se movimentar no interior da bobina.
O osciloscópio deve ser ajustado para uma freqüência de varredura compatível com a do fenômeno que deve ser observado, normalmente uma baixa freqüência (0,1 a 10 Hz).
Esse mesmo circuito pode ser acoplado a um conversor analógico/digital (ADC) de modo que os dados registrados possam ser transferidos para um computador, obtendo-se um sistema mais sofisticado de análise do fenômeno.
Uma variação do circuito pode ser obtida com um pêndulo, caso em que sua linha é preso é um pequeno imã, conforme mostra a figura 6.

 

As oscilações nesse caso podem ser analisadas de uma forma muito mais completa, pois é possível utilizar bobinas em ângulo reto de modo a se obter uma informação bidimensional sobre as oscilações e além disso analisar-se variações de fase das oscilações.
Uma outra maneira de se agregar recursos eletrônicos a experimentos com pêndulos é mostrada na figura 7, em que acoplamos um espelho a esse pêndulo e focalizamos um feixe de luz comum, ou mesmo um feixe de LASER.

 

Os mínimos movimentos do pêndulo são amplificados pelo deslocamento angular do espelho, traduzindo-se assim em variações de sinal acusadas por um foto-sensor.
Este foto-sensor pode ser acoplado a um amplificador comum ou mesmo um osciloscó

Envios grátis

Para compras acima de R$120,00

Até 10 vezes

Com todos os cartões de crédito

Site seguro

Protegemos seus dados